Fernando Santos

APARTE

12 de julho de 2019 às 08:40
Foto: Divulgação

Para quem esse prefeito governa?

 

Foi esta a pergunta que marcou o pronunciamento do vereador Paulo Périco/MDB, na sessão da Câmara, ontem (11). Ele disse que, assim como o colega Adiló Didomenico/PTB organiza a lista das polêmicas geradas pelo prefeito Daniel Guerra, gostaria de fazer a relação das atitudes que o gestor, realmente, tenha feito “para as pessoas”, que ele tanto prometeu na campanha política de 2016. “Infelizmente, eu não pensei nisso, porque seria realmente uma lista muito pequena”, ressaltou. Périco enumerou algumas das ações que ele considera como contra as pessoas. “Quando a Prefeitura vai ao Desvio Rizzo e toma o Clube das Mães, não são pessoas e cidadãos de Caxias do Sul? Se a UAB tenta, há dois anos e meio, uma reunião com prefeito e, até hoje, não foi recebida. Portanto, perguntamos: para que pessoas este prefeito governa?”.

 

“PARA PESSOAS DE SUAS RELAÇÕES?”

Esta poderia ser uma das respostas para a pergunta de Paulo Périco. A alternativa se justifica por vários fatos, muitos deles denunciados pelos próprios vereadores. Esta semana mesmo foram vários casos abordados pelos parlamentares, como Rafael Bueno/PDT, que, na sessão da quarta-feira (10), denunciou o que ele chama de boquinha, que o prefeito Daniel Guerra deu para a ex-cunhada, diretora do gabinete dele, ganhar salário proporcional de 15 dias como secretária de Turismo. Também é de se registrar casos anteriores de suposto favorecimento de pessoas de suas relações no primeiro escalão, como as inúmeras nomeações do atual diretor, Daniel Bianchi, como secretário interino de diversas pastas.

 

LINHA DE IMPEDIMENTO

Nesta semana, o Legislativo repercutiu as candidaturas ao concurso da Prefeitura da secretária Renata Carraro e da chefe-adjunta da Procuradoria Geral do Município, Geraline Gollo, respectivamente, às vagas únicas de turismóloga e procuradora jurídica. Os fatos impulsionaram as bancadas do PSB, PT e PCdoB a capitanearem um projeto de lei proibindo que, até mesmo prefeito e vice, se candidatem a concurso do Município enquanto no exercício do cargo público. Nesta quinta-feira à tarde, a proposta já contava com seis das 12 assinaturas necessárias para protocolar a emenda à Lei Orgânica do Município. Para ser aprovada, a proposição também precisa passar por duas votações em plenário.

 

VISTAS GROSSAS

O presidente do Senalba, Claiton Melo, denunciou, por meio das redes sociais, que duas educadoras da Escola Dr. Renan Falcão de Azevedo, no Bairro Reolon, foram demitidas, nesta quinta-feira (11). O motivo, segundo a entidade, foi porque as profissionais realizaram um evento para arrecadar dinheiro para a própria escola, tendo em vista as péssimas condições do estabelecimento e a falta de atenção da mantenedora e da Secretaria Municipal de Educação (Smed). O fato gerou protesto de moradores. A infraestrutura das escolinhas de educação infantil terceirizadas pela Prefeitura é um assunto recorrente no Legislativo. A bandeira de luta é do vereador Rafael Bueno/PDT que, junto com o Senalba, desde o ano passado, vem denunciando o suposto descaso do Executivo para com as escolas. Mesmo que operadas pela iniciativa privada, o Executivo tem a responsabilidade de fiscalizar, pois se trata de dinheiro público investido. Também, nos últimos dois anos, houve toda uma engenharia por parte da Smed para reduzir o valor pago às conveniadas, sob a alegação de que o custo dos profissionais estava acima do valor médio pago à categoria.