Fernando Santos

APARTE

09 de julho de 2019 às 08:40

Desprestígio ao empresariado

A ausência do chefe do Executivo em eventos de renome na cidade também poderia merecer um ranking, assim como o vereador Adiló Didomenico/PTB vem organizando desde os primeiros dias de janeiro de 2017. E lá se vão mais de 190 itens de polêmicas geradas por decisões da atual gestão para com vários segmentos da comunidade. Ontem (8), na comemoração dos 118 anos da IC Caxias, o prefeito Daniel Guerra/Republicanos também não foi. Enviou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Emílio Andreazza, para representá-lo. Em dois anos e meio de governo, raras vezes o prefeito foi à CIC, além das tradicionais palestras de abertura de ano, em campanha e depois da eleição do governador Eduardo Leite/PSDB. Mas para não dizer que nenhum prefeito foi prestigiar a CIC, estava aqui o de Farroupilha, Claiton Gonçalves/PDT. Também empresário, o presidente da Câmara de Vereadores de Caxias, Flávio Cassina/PTB, prestigiou o evento.

 

RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

Tudo bem que o presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara/PTB não tenha vindo e pedido que o deputado estadual Carlos Búrigo, eleito por Caxias, representasse o parlamento estadual. Afinal, apesar de um evento de cunho empresarial, as ligações políticas com este setor são por demais importantes. Isso porque são as empresas que geram emprego e renda para que o cidadão possa pagar tributos para engordar os cofres da Prefeitura, que, segundo o próprio governo, tem R$ 20 milhões de superávit. Até agora não foi dito onde vai ser investido esse dinheiro, possivelmente, no último ano de governo, em plena época eleitoreira.

 

FORA DA CIDADE TAMBÉM NÃO VAI

Daniel Guerra também não compareceu e nem enviou representante à reunião da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), que ocorreu em Paraí, na sexta-feira (5). O único representante do Município foi o vereador Adiló Didomenico/PTB. O encontro serviu para tratar de temas como imunização e áreas infectadas com a dengue, o processamento de resíduos sólidos urbanos e o desenvolvimento do projeto do Porto de Torres.

 

AS CONTAS DA CODECA

O plenário da Câmara de Vereadores vota, nesta terça (9), pedido de informações de autoria de Adiló Didomênico/PTB e Gustavo Toigo/PDT sobre a prestação de contas da Codeca, referentes ao ano passado. Os parlamentares querem a cópia do balanço e informações sobre a aprovação pelo Conselho de Administração, se houve alguma antecipação de crédito ou de obras faturadas a entregar. Além disso, da ata de alteração da nova diretoria. Caso aprovado, o Executivo terá até 30 dias de prazo para responder aos vereadores.

 

SEMANA DECISIVA

Assim classificou, ontem (8), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia/DEM-RJ, os próximos dias de tramitação do projeto da reforma da Previdência. Aprovada na semana passada na comissão especial, a proposta de emenda à Constituição (PEC 6/19) vai a plenário nesta terça-feira (9). “Vamos viver uma semana decisiva. O grande desafio é a votação no plenário. Temos que mobilizar um número enorme de parlamentares para um tema que é fundamental e decisivo, mas a gente sabe que foi uma construção”, disse Maia, em um podcast publicado em suas redes sociais.

Ainda, segundo o democrata, a elaboração do texto que vai a plenário se deve à capacidade de diálogo e ao equilíbrio do Congresso. “A construção da vitória, se acontecer, será uma construção do Parlamento, não será uma construção do governo. O governo ajuda. O governo, em alguns momentos, atrapalhou, mas tem ajudado nas últimas semanas. Mas precisa ficar claro, nesse processo, exatamente para que os deputados tenham conforto para votar, que o resultado desta semana será o resultado do esforço, do trabalho e da dedicação de cada deputado e de cada deputada”, ressaltou.