Cidades

Vendas de implementos rodoviários seguem fortes

A indústria fabricante de implementos rodoviários consolidou alta de 54% no primeiro bimestre do ano, com 16.480 emplacamentos. A expectativa para o ano é de crescimento na ordem
14 de março de 2019

A indústria fabricante de implementos rodoviários consolidou alta de 54% no primeiro bimestre do ano, com 16.480 emplacamentos. A expectativa para o ano é de crescimento na ordem de 10% a 15%, totalizando entre 99 mil a 104 mil emplacamentos.

Como vem ocorrendo desde o ano passado, o segmento de pesados, formado por reboques e semirreboques, tem sido o principal indutor da atividade, com a venda de 8.885 unidades, incremento de quase 73%. O desempenho está diretamente relacionado com a demanda do agronegócio, que segue em ritmo acelerado.

Já a linha de carrocerias sobre chassis, que formam o segmento de leves, tem recuperação mais lenta, porém consistente. No bimestre já foram vendidas 7.595 unidades, avanço de 37,5%. Este mercado é balizado, especialmente, pelo varejo, que ainda não deu sinais claros de retomada.

De acordo com o presidente da Associação dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR), Norberto Fabris, nos anos de mercado normal a relação entre os segmentos oscila entre 1,5 e dois produtos leves para cada implemento rodoviário pesado. Segundo ele, o desequilíbrio atual deve-se ao setor de varejo. “Além de lento, não há sinais de nenhum crescimento expressivo de consumo que altere essa relação”, aponta.

Uma das principais entidades do setor de varejo, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, avalia que o mercado de varejo só recuperará o patamar máximo de vendas, alcançado em outubro de 2014, em fevereiro de 2020. “O segmento de carroceria sobre chassis depende muito do desempenho dos negócios nesse mercado e a lentidão em sua retomada reflete diretamente em nossas vendas”, explica.

Na linha de pesados, o principal produto segue sendo o modelo graneleiro/carga seca, com mais de 2,5 mil emplacamentos, e alta de 93%. Dos 15 tipos oferecidos ao mercado, apenas dois apresentam saldo negativo: canavieiro, com recuo de 16%; e tanque inox, com 49%.

No segmento de leves, o resultado mais representativo é o crescimento de 510% nas vendas de betoneiras, totalizando 67 unidades. O resultado indica retomada no setor da construção civil, que vem sendo aguardada há muito tempo. O maior volume de vendas é de baús alumínio/frigorífico, com incremento de 16%, para 3,2 mil emplacamentos. No mercado externo, as estatísticas disponíveis são apenas sobre janeiro. Foram embarcadas 282 unidades, em alta de 136%.