Comunidade

Sebrae incentiva uso da indústria 4.0 pelos pequenos negócios

Aumentar os níveis de produtividade e a qualidade dos produtos já não depende apenas de investimentos e de um time dedicado de colaboradores. Requer um novo olhar sobre o negócio
10 de abril de 2019

Aumentar os níveis de produtividade e a qualidade dos produtos já não depende apenas de investimentos e de um time dedicado de colaboradores. Requer um novo olhar sobre o negócio e a inserção no mundo da transformação tecnológica.

Foi com este foco que a Compact, fabricante de equipamentos gastronômicos em Caxias do Sul, decidiu participar do Projeto Avança Indústria 4.0, executado com recursos de um edital do Sebrae Nacional e com metodologia desenvolvida pelo SENAI Mecatrônica de Caxias do Sul. O diretor comercial Guilherme Poletti diz que a expectativa é aumentar a eficiência operacional e ter acesso ao processo produtivo em tempo real. "A grande melhoria é fazer mais produtos com menos recursos", afirma. Ele também ressalta que, com a adoção dos novos conceitos, o gerenciamento da fábrica ficará mais proativo. "Quem não entrar nessa onda, ficará de fora do mercado", alerta.

Outra empresa participante é a Gomasul, de Bento Gonçalves. O diretor Gilson Rigo conta que, desde meados de 2014, a empresa, especializada em soluções em borracha, trabalha os conceitos da indústria 4.0 para implantação da tecnologia. "Fomos à Feira de Hannover com o Sebrae RS e, no retorno, nos engajamos ao novo projeto", relata.

Rigo relata que tudo começou com o mapeamento da tecnologia mais adequada a ser adotada. Posteriormente, houve um trabalho de lean manufacturing, a chamada manufatura enxuta, que adota ferramentas e métodos de gestão que auxiliam na redução dos desperdícios, aumentando a lucratividade e desenvolvendo equipes de alto desempenho.

O passo seguinte é medir a produtividade e adotar a metodologia 5S, uma das ferramentas do lean manufacturing, que ajuda a criar a cultura da disciplina, identificar problemas e gerar oportunidades de melhorias. É também o momento de dar a largada para a digitalização de processos. "Podemos saber em tempo real o que está sendo produzido para poder atuar nos pontos mais críticos", salienta Rigo.

O diretor da Gomasul considera que a tecnologia é um caminho inevitável para as empresas que pretendem ser mais produtivas. E, ao contrário do que alegam alguns, assegura que "não tira o emprego de ninguém" e ainda eleva o patamar da empresa, pois exige qualificação da mão de obra que, desta forma, consegue melhor remuneração.

Para que mais empreendedores tenham condições de permanecer competitivos, o projeto-piloto do Sebrae RS objetiva desenvolver uma modelagem de transformação tecnológica na indústria por meio de conceitos da indústria 4.0 e obter parâmetros de desempenho do avanço tecnológico implementado na indústria. O gestor de projetos Taisson Toigo informa que se trata de uma proposta para desenvolver método de aplicação da indústria 4.0 em pequenas indústrias, inicialmente com aplicação no processo produtivo da empresa. O projeto-piloto será desenvolvido em 2019, com a participação de empresas voluntárias, como a Multipeças e a Tertech, de Caxias do Sul, e a Versatronic, de Cachoeirinha.