Interior ganhará mais espaço na Festa da Uva

Cidades

19 de junho de 2015
Texto
-a
+a
O visitante que for ao Parque de Exposições durante a 31ª Festa Nacional da Uva a partir de 18 de fevereiro do ano que vem encontrará menos espaços para compras e mais presença das comunidades do interior de Caxias do Sul e de nove municípios vizinhos que fizeram parte da imigração italiana no Rio Grande do Sul. Os detalhes da organização dos pavilhões foram apresentados na manhã desta quinta (18) durante coletiva de imprensa. 
 
Atendendo a pesquisas de satisfação dos visitantes, a organização do evento reduziu a área destinada ao comércio (de edredons, por exemplo) para que o público veja mais festa e tenha acesso à cultura local. Em números, a redução chega a 600 metros quadrados, representando R$ 500 mil a menos em locações. Segundo o presidente da Festa da Uva, Edson Nespolo, o início da venda dos espaços dos expositores está 40 dias atrasado em relação à última edição do evento, para que o perfil da feira agroindustrial fosse ajustado. 
 
“Buscamos tentar não repetir, principalmente no Pavilhão 2, aquela imagem de camelódromo da festa. O Pavilhão 2 é para ter mais festa, presença das colônias e agora teremos o envolvimento de outras cidades da região”, afirmou Nespolo. 
 
A grande novidade da organização está na criação do Parque Temático da Serra Gaúcha, que reunirá apresentações artísticas e espaço para que os municípios da região, que receberam imigrantes italianos há 140 anos, possam expor sua diversidade de produtos e aspectos culturais. O ambiente temático terá dois mil metros quadrados para divulgação da cultura de Bento Gonçalves, Farroupilha, Veranópolis, Antônio Prado, Flores da Cunha, Encantado, Guaporé, Nova Prata e Garibaldi. Para representar as antigas colônias, réplicas serão montadas no local, que em cada dia dos três finais de semana da festa, um município assuma o espaço.  
 
Diretor de integração regional da comissão comunitária da Festa da Uva e vice-prefeito de Caxias, Antonio Feldmann, ressaltou que vem trabalhando para integrar outros municípios da região no evento e que a Festa da Uva marcará o encerramento das comemorações da imigração italiana. Além disso, Feldmann anunciou uma parceria com a Fenavinho, de Bento Gonçalves, que voltará a ser realizada em 2017. 
 
A uva, símbolo da festa, estará mais em evidência. A tradicional exposição de uvas continuará no Centro de Eventos e estará representada também nos corredores do Pavilhão 1 e no Palácio das Uvas, onde será montado um palco para apresentações artísticas enquanto os visitantes degustam a fruta. 
 
De acordo com o diretor de Feiras e Exposição da Festa da Uva, Fernando Bertotto, a organização dos pavilhões foi pensada como um ambiente de um shopping. Para isso, a festa terá um espaço de atendimento a crianças, uma espécie de brinquedoteca, onde os pais poderão deixar seus filhos com uma equipe responsável pelo serviço e aproveitar o evento.
 
Vendas de espaços – A comercialização dos espaços na Festa da Uva também foram apresentados na coletiva. Segundo Valmor Pessin, responsável pela empresa que comercializa os estandes, cerca de 200 empresas de Caxias do Sul – que já estiveram presentes em outras edições da festa - já receberam as propostas e na próxima segunda-feira (22) iniciam as negociações. No final de julho os contatos serão estendidos para as empresas de todo o Estado. 
 
Os valores, por m², variam de R$ 400 a R$ 550. Sem a montagem inclusa, o m² de estandes de corredores custam para R$ 400 e os expositores das esquinas terão que pagar R$ 450. Com montagem, o m² dos espaços é vendido a R$ 460 nos corredores e R$ 550 nas esquinas. A locação dos estandes será aberta para os comerciantes locais na Exposul, que fica casa da Réplica 3 dos Pavilhões da Festa da Uva (fone 3027-7065). 
 
Foodtrucks e comida oriental
 
A alimentação dos visitantes também será reforçada. Adriano Medeiros, diretor responsável pela área, afirma que a culinária será explorada e não ficará restrita apenas a gastronomia italiana. Além dos restaurantes e dos quiosques com creps, xis, cachorro-quente e outros lanches, a praça de alimentação terá comida oriental, como temakeria. “Estamos procurando inovar ao máximo ao seguir uma tendência mundial de trazer mais diversidade na área da alimentação”, ressalta Medeiros.
Ao todo, serão 53 pontos de alimentação e ampliação de 900 para 1.500 lugares para pessoas sentadas. A cada 200 metros o visitante poderá contar com algum serviço de alimentação ao longo do parque e passeará pelo parque com corredores mais largos, com cerca de 12 metros. 
 
Outra novidade será a presença de foodtrucks, que também deverá oferecer diversidade de opções gastronômicas. A idéia é contar com nove trucks de empreendedores caxienses e outros de fora da cidade. Segundo Medeiros, que também trabalhou na edição de 2014 do evento, 650 mil pessoas passaram pela praça de alimentação na última edição da Festa da Uva – soma que incluí visitantes e os expositores, que chegam a quatro mil pessoas.
 
Segundo Fernando Bertotto, diretor de Feiras e Exposição da Festa da Uva, em média, cada visitante gastou na edição passada do evento R$ 57, sendo R$ 30 com alimentação. 
 

 

« Voltar