Cidades

Pompéia investirá R$ 1,7 milhão em novo equipamento

12 de junho de 2019 às 12:37

O Ministério da Saúde aprovou projeto do Hospital Pompéia para receber mais de R$ 1,7 milhão de 45 empresas de todo o país. O recurso tem origem no Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), que permite às empresas destinar 1% de seu imposto de renda para instituições dedicadas ao combate ao câncer.

O projeto visa à aquisição da máquina de tomografia computadorizada 32 CH, equipamento de diagnóstico que gera imagens em 360º ao redor do paciente. Estas imagens possuem maior resolução, além de permitir que os pacientes passem menos tempo expostos à radiação. A máquina será destinada ao Instituto de Diagnóstico por Imagem para atendimento de pacientes do SUS.

A possibilidade de contar com o equipamento reforça o trabalho do Hospital Pompéia em seu Instituto do Câncer (Incan). Credenciado como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia, a instituição realiza trabalhos na oncologia clínica, cirurgia oncológica e hematologia. Atualmente, o Incan presta atendimento a 750 pacientes que estão em tratamento oncológico, realizando, em média, 1.500 consultas por mês.

O serviço oferece atendimento integral com 17 médicos especialistas, dentre eles mastologistas, urologista, cirurgião de cabeça e pescoço, neurocirurgião, coloproctologista, hematologistas e oncologistas clínicos, e cirurgiões oncológico, do trato gastrointestinal e torácico. O instituto realiza ainda 650 sessões de quimioterapia por mês, internando, em média, 50 pacientes.

Além das consultas específicas do Incan, há 400 consultas multidisciplinares por mês, que incluem atendimento de psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, odontólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais. Também é feito trabalho de prevenção por meio de ações sistemáticas de informação e orientação à comunidade.