Política

Farroupilha faz o serviço do Estado

Prefeitura realiza tapa-buracos na ERS-122 com R$ 600 mil de superávit do orçamento
20 de maio de 2019 às 12:30

Uma obra de responsabilidade do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) começou a ser realizada, nesta sexta-feira (17), pela Prefeitura de Farroupilha. É a operação tapa-buracos na ERS-122, iniciada pelo Km 61, próximo ao trevo de saída para Porto Alegre. O trabalho foi acompanhado pelo prefeito Claiton Gonçalves/PDT, secretários, vereadores e assessores de governo.

A obra deve durar dois meses. A empresa que venceu a licitação foi a Toniolo Busnello. A ação contempla ainda a RSC-453, num total de cerca de 1.000m². O serviço inclui a cobertura de buracos, com retirada de camadas de asfalto para consertar a base. Outros 4.800 m² são de consertos superficiais. Conforme dados da Prefeitura, pelo trecho que receberá manutenção passam 60 mil carros por dia ou mais de 1,7 milhão por mês.

RESSARCIMENTO FUTURO

Segundo Claiton Gonçalves, o Executivo Municipal tomou a iniciativa porque reconhece a incapacidade financeira do governo gaúcho. O prefeito justifica que o local é utilizado pela indústria da região, cuja dificuldade de transporte pode prejudicar o sistema produtivo. “Embora Farroupilha tenha uma capacidade muito menor que o Estado, estamos fazendo por não suportar mais a condição de tráfego pelo qual passam as pessoas da Serra que passam pela rodovia. Como não vislumbramos melhorias no horizonte financeiro do Estado, resolvemos fazer a obra”, explicou.

A operação foi licitada em cerca de R$ 600 mil. Valor semelhante ao que o Município empenhou para a manutenção das ruas da cidade. O dinheiro que será utilizado no tapa-buracos vem do superávit das contas públicas, desde 2013.

De acordo com o prefeito, neste período, foi economizados em torno de 23% do valor da folha de pagamento, com a redução de cargos de confiança, entre outras ações. “Este dinheiro é muito importante para investimentos em obras e serviços básicos. Por isso, depois de concluídas as obras, iremos cobrar o ressarcimento pelo governo do Estado ou em dinheiro ou por meio de encontro de contas entre os dois entes”, revelou.