Cidades

Esforço coletivo para a organização dos jovens

O movimento hip hop é a configuração de forças para o exercício cidadania. É nesse contexto que o projeto Cultura Hip Hop nas Escolas se apresenta outra vez
01 de abril de 2019

O movimento hip hop é a configuração de forças para o exercício cidadania. É nesse contexto que o projeto Cultura Hip Hop nas Escolas se apresenta outra vez para visitar alunos da rede municipal de Caxias do Sul. Desta vez, o rapper Chiquinho Divilas organizou uma crew para dividir a tarefa de, a partir dos quatro elementos fundamentais, agregar o conhecimento, a cidadania, o protagonismo e o empoderamento dos jovens pela manifestação que lhes mobiliza de imediato. De forma dinâmica, a meta é ampliar o debate que vai desde o processo histórico do hip hop até os dias atuais.

O rapper terá a parceria do b-boy Geovani de Gregori. Na oficina de dança, Gê do Break coordenará atividades como dinâmica de grupo, expressão corporal e desinibição na perspectiva da elaboração de uma coreografia. Conhecido por seus sets e engajamento social, o DJ Hood mostrará como utilizar a técnica do DJ para ferramenta de trabalho e envolvimento artístico em atividades de montagem e desmontagem de equipamentos, performance de batidas e efeitos no toca-discos, técnicas de scratches e mixagem.

O também DJ Muzak fará demonstração de técnicas de discotecagem por meio de equipamentos de baixo custo, explorando ferramentas gratuitas e interativas, complementando as atividades com dicas de softwares, canais de pesquisa e divulgação, além de mixagem entre diferentes estilos musicais. Ainda há duas oficinas nesta nova edição do Cultura Hip Hop nas Escolas. Uma delas, coordenada pelo jornalista Carlinhos Santos, fala sobre proatividade, convocando os estudantes a pensarem sobre estratégias de mobilização social, movimento e plataformas de compartilhamento de ideias, além de conhecerem um pouco dos movimentos sociais na história. A outra, denominada Escola de Líderes – Faísca da Ação, com o produtor Luciano Balen, reunirá informações e provocações para identificar habilidades intelectuais e sociais em possíveis lideranças capazes de acionar e qualificar a cadeia produtiva e dos elementos da cultura hip hop.

Chiquinho Divilas conduz uma oficina de rima, provocando a moçada à descoberta de literatura sobre o rap e a criação de música feita de forma coletiva com versos que se aproximem dos conteúdos de sala de aula, estimulando o aprendizado, a desenvoltura e a oratória dos alunos. Também coordenará duas palestras: Cultura é a Cura e Genealogia do Hip Hop, esta em parceria com o músico Rafael De Boni. Toda articulação da equipe e dos oficineiros, o mapeamento das escolas e o calendário de atividades é fruto do trabalho da produtora Daiane Luza.

A Cultura Hip Hop em Movimento visitará as escolas Rosário de São Francisco, Rubem Bento Alves, Marianinha de Queiroz, Cristovão de Mendoza, Villa Lobos, Melvin Jones e São Victor. As atividades começam dia 1 de abril, no turno da amanhã, na escola Rosário de São Francisco. A iniciativa tem o financiamento da LIC Municipal de Caxias do Sul, com apoio cultural da Marcopolo e Fundação Marcopolo.

Programação da semana

Escola Rosário de São Francisco

Segunda (1) - Palestra Cultura é a Cura, com Chiquinho Divilas

Terça (2) - Palestra Genealogia do Hip Hop, com Chiquinho Divilas e Rafael de Boni

Quarta (3) – Oficinas de rima, de dança, de DJ e de conhecimento

Quinta (4) - Gravação da oficina de rima e oficinas de dança, discotecagem e de conhecimento

Sexta (5) - Show de encerramento com apresentação de todas as oficinas e Projeto RAPjador