Cidades

Colisões em postes de energia aumentam 43%

RGE contabilizou 283 casos no ano passado
27 de maio de 2019 às 12:29
Foto: BD

No mês em que se realiza a campanha de segurança no trânsito Maio Amarelo, levantamento da RGE mostra que o número de colisões contra postes em Caxias do Sul subiu 43% em 2018 em relação a 2017, saltando de 198 para 283. Em toda a área de concessão, essas ocorrências aumentaram 11,5% na mesma base de comparação. Somente no ano passado, a distribuidora do Grupo CPFL registrou 5,1 mil colisões contra postes, causando interrupções no fornecimento de energia. Foram 600 colisões a mais do que em 2017. A RGE distribui energia a 2,8 milhões de clientes em 381 municípios gaúchos.

O sistema elétrico brasileiro é uma indústria a céu aberto, com postes e fios sempre expostos às mudanças climáticas, como chuvas, raios e também à influência da atividade humana. Neste último item, se destacam as colisões de veículos contra postes, geralmente com danos consideráveis na rede elétrica. Quando um veículo colide em um poste, mesmo que não quebre a estrutura, um bairro ou até uma cidade inteira podem ficar sem energia elétrica.

Caso o acidente seja em um poste de um circuito de média tensão, por exemplo, pode afetar milhares de clientes conectados nessa rede. Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas de interrupção no fornecimento de energia elétrica. Quando se trata de colisão, a média é de três postes substituídos por dia, o que, além dos transtornos pela falta de luz, provoca gastos de aproximadamente R$ 12 mil diários, totalizando mais de R$ 4 milhões ao ano para a distribuidora.

Como parte do apoio ao movimento Maio Amarelo, a campanha Guardião da Vida promove ações que visam estimular a comunidade a adotar atitudes mais seguras como parte responsável pela vida de outras pessoas. Uma das ações é a Campanha Externa de Prevenção de Acidentes com Eletricidade, com palestras realizadas em escolas, associações de bairro, sindicatos de classe, empresas e lojas de material de construção. "Os acidentes contra postes constituem umas das principais causas de ocorrências na rede elétrica do grupo. Trabalhamos com ações de prevenção no trânsito, levando a mensagem de segurança também aos clientes", afirma o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da CPFL Energia, Marcos Vitor Lopes.

Além do risco à segurança, os responsáveis pelos acidentes contra trânsitos podem amargar prejuízos financeiros. Nos casos em que a distribuidora identifica o culpado legal, este deve arcar com os danos causados ao patrimônio da concessionária. Os custos de substituição de um poste do sistema elétrico variam, normalmente, entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil. Em caso de acidente com poste, se houver queda de cabos, a orientação da RGE é para ficar no interior do veículo, sem tocar nas partes metálicas, até o atendimento por parte das equipes da empresa.