Cidades

Apoio para quem perdeu a voz

Com o uso do aparelho eletrolaringe, apoio e conhecimento, pacientes podem levar uma vida normal
23 de maio de 2019 às 13:03
Foto: Divulgação

Criado há dois anos por profissionais da área da saúde, por pessoas que se sensibilizaram com a causa e por familiares de pacientes acometidos pelo câncer de laringe e fizeram a sua retirada total, o Grupo de Apoio aos Laringectomizados Totais de Caxias do Sul (Galc) tem o propósito de reunir quem enfrenta este problema e, por meio de diálogo e atividades interativas, contribuir para a qualidade de vida e ressocialização. “Quem faz a retirada total da laringe é chamada de pessoa laringectomizada. Para que possam falar é necessário usar o aparelho eletrolaringe. Desta forma, a voz é recuperada, mas com o som assemelhando-se ao de um robô”, explicou a fonoaudióloga e voluntária Aline Ferla.

Reintegrando socialmente e contribuindo para a valorização de quem superou e venceu a doença, as atividades do Galc visam envolver os familiares, assim como ofertar atendimentos individualizados, o que proporciona elevação da autoestima. Aline destacou que, no final de 2018, o grupo, atualmente formado por quatro laringectomizados, cantou para os pacientes da ala do Sistema Único de Saúde do Hospital Pompéia. “Dentre os voluntários, temos uma professora de canto. Tudo o que fazemos é dar suporte para que eles percebam que a vida segue normalmente. Mesmo tendo de usar um aparelho que os ajuda a sonorizar e reproduzir suas palavras”, salientou.

De acordo com informações epidemiológicas, o câncer de laringe ocorre predominantemente em homens acima de 40 anos, sendo um dos mais comuns entre os que atingem a região da cabeça e do pescoço. Conforme Aline, representa em torno de 25% dos tumores que acometem essa área e 2% de todas as doenças malignas.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, a estimativa de novos casos no país, em 2018, era de 7.670 casos diagnosticados, sendo 6.390 em homens e 1.280 em mulheres. “Em Caxias, como ainda temos poucos integrantes, acreditamos que muitos ainda estejam vivendo de forma isolada, enfrentado sozinhos as incertezas e os medos que a retirada total da laringe gera na pessoa. No entanto, tendo suporte e conhecimento, é possível levar uma vida normal”, garantiu. As reuniões do Galc são itinerantes e mensais. Mais informações pelo email laringectomizadoscaxias@gmail.com.

 

Vem nos escutar

 

Com o propósito de dar maior visibilidade ao grupo e encontrar mais pessoas laringectomizadas, no dia 9 de junho será realizado almoço beneficente, com a temática “Vem escutar a nossa voz”, no espaço de eventos do Salão Paroquial Santa Catarina. “Esperamos receber 500 pessoas. Queremos arrecadar fundos com a finalidade de levar esses quatro pacientes a São Paulo para o encontro nacional dos laringectomizados totais, em agosto”, destacou Aline Ferla. Os ingressos custam R$ 45 para adultos e R$ 25 para crianças. No cardápio, risoto, salsichão, galeto, maionese, salada verde e pão. Interessados em participar podem fazer reserva pelo telefone (54) 9 8415-8372.