Política

APARTE

Parece que a Operação Lava Jato, realmente, só agora chegou a Caxias do Sul. Anunciada para o início do governo do prefeito Daniel Guerra/PRB, nas planilhas da Visate, a
14 de março de 2019

Parece que a Operação Lava Jato, realmente, só agora chegou a Caxias do Sul. Anunciada para o início do governo do prefeito Daniel Guerra/PRB, nas planilhas da Visate, a operação acabou não ocorrendo e ficou mesmo só na promessa de campanha eleitoral, em 2016. Como o Executivo não deflagrou a Lava Jato, coube ao Legislativo protagonizar a ação. A primeira fase teve início esta semana, com a aprovação de um pedido de informações da vereadora Denise Pessôa/PT. No requerimento, ela solicita uma devassa no funcionalismo público municipal. O objetivo é fazer um diagnóstico do quadro funcional do Executivo.

Na sessão desta quarta (13) da Câmara, quem prenunciou a segunda fase da Lava Jato foi o vereador Alberto Meneguzzi/PSB. Ele deixou a entender que se o Executivo não colocar as contas da Festa da Uva na mesa “diretora”, pedirá também por meio de requerimento. “Eu tenho curiosidade em saber qual a arrecadação oficial da Festa da Uva? Qual foi a injeção de recursos do poder público? Qual a arrecadação com a locação dos espaços? Qual o volume de negócios realizados? Quais os investimentos dos patrocinadores? E qual público nos pavilhões? E qual o público nos shows, porque acho até demasiado esse público de 600 mil”, questionou.

FRENTE PARLAMENTAR

O deputado estadual Carlos Búrigo/MDB conseguiu 54 assinaturas para instalar a Frente Parlamentar de Logística e Transportes dos Campos de Cima da Serra. A intenção é trabalhar pela conclusão de obras nos trechos que ligam o território gaúcho ao catarinense. Entre eles, a pavimentação da BR-285, o início das obras da Rota Caminhos da Neve e a pavimentação da ERS-020, na região dos Aparados da Serra. Além disso, a operação do aeroporto de Vacaria. “As obras são imprescindíveis para o desenvolvimento econômico e turístico da região dos Campos de Cima da Serra, Norte gaúcho e região Serrana, oferecendo melhores condições para o escoamento da produção. Trata-se de um importante polo de turismo sustentável, com atrações naturais, culturais, gastronômicas e tradicionais”, afirmou.

BATE-PAPO COM VEREADORAS

O evento cancelado na sexta-feira (8) vai ocorrer nesta quinta, às 17h, na Praça Dante Alighieri. A promoção da Procuradoria Especial da Mulher (PEM) do Legislativo caxiense é alusiva ao Dia Internacional da Mulher. A finalidade é ouvir as demandas, principalmente das mulheres, e divulgar o trabalho da Procuradoria. Estarão presentes as vereadoras Denise Pessôa/PT, Gladis Frizzo/MDB, Paula Ioris/PSDB e Tatiane Frizzo/SD.

SOU CONTRA

O vereador Velocino Uez/PDT se manifestou contra a equiparação de idade na aposentadoria rural. Ele deverá apresentar moção de repúdio ao plenário do Legislativo. Na sessão desta quarta-feira, ele criticou a proposta do presidente Jair Bolsonaro/PSL de igualar homens e mulheres, que, segundo o integrante da Comissão de Agricultura da Câmara, é fazer um alinhamento com as diretrizes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul. Ele ressaltou que a entidade faz um abaixo-assinado para reverter a proposta do governo federal.

CORRUPÇÃO NÃO É CRIME ELEITORAL

Assim pensa o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Nesta quarta (13), ele disse que a Justiça Eleitoral não tem condições de julgar os processos envolvendo suspeita de corrupção e de lavagem de dinheiro, mesmo quando associados a crimes eleitorais. “A posição do ministério, já externada publicamente, é de que a Justiça Eleitoral, embora faça um trabalho excelente na organização das eleições e na resolução de questões pontuais eleitorais, não está bem estruturada para julgar crimes mais complexos, como lavagem de dinheiro e corrupção”, afirmou.