Política

APARTE

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta segunda (8), a segunda troca de ministros do governo, que completa 100 dias, nesta quarta-feira (10). Depois de exonerar o ex-presidente do PSL, Gustavo
09 de abril de 2019

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta segunda (8), a segunda troca de ministros do governo, que completa 100 dias, nesta quarta-feira (10). Depois de exonerar o ex-presidente do PSL, Gustavo Bebiano, da Secretaria-Geral de Governo, agora Ricardo Vélez Rodriguez foi desligado do cargo de ministro da Educação. O colombiano já estava “jurado” de exoneração por Bolsonaro desde a semana passada. Vários episódios deram vez à demissão do ministro. A mais polêmica foi quando ele mandou mensagem às escolas brasileiras para que, na abertura do ano letivo, filmassem os alunos cantando o Hino Nacional e gritando lema da campanha de Bolsonaro: Brasil Acima de Tudo. Deus Acima de Todos. No lugar de Vélez, entra o professor e atual secretário executivo da Casa Civil, Abraham Weintraub. O currículo dele foi alardeado pelo presidente, no Twitter: “Tem ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta".

REMUNERAÇÃO EM PAUTA

Não foi apenas uma vez, pelo menos nestes dois últimos anos, que o vereador Rafael Bueno/PDT levou à tribuna da Câmara a situação dos funcionários das entidades que prestam serviços de ensino e assistência social à Prefeitura de Caxias do Sul. A reclamação sempre foi a mesma: o salário dos profissionais. A realidade foi tema de uma audiência pública, na tarde desta segunda (8), da Comissão de Direitos Humanos, Justiça e Cidadania do Legislativo. A audiência foi proposta pela vereadora Denise Pessôa/PT. O objetivo foi debater o reflexo de um estudo da UCS, que serve como base para a Prefeitura reduzir verbas às entidades que, consequentemente, implicará em salários menores para 11 funções. Segundo Bueno, também integrante da Comissão presidida pelo vereador Rodrigo Beltrão/PT, foi discutida a possibilidade de essa redução salarial refletir na continuidade de serviços assistenciais, a partir da nova tabela adotada pela Fundação de Assistência Social (FAS). "Além da perda dos empregos, a minha maior preocupação é com o usuário, que vai sentir lá na ponta esse descaso do Município, que vem cortando verbas para a assistência social desde seu início. Quero crer que os Conselhos e órgãos de classe não tenham sido coniventes com essa anunciada demissão em massa que ocorrerá a partir da readequação na tabela”, afirmou.

PRÉ-AVALIAÇÃO

A 32ª Festa da Uva foi tema de uma reunião, nesta segunda, entre a Comissão Comunitária e os vereadores Tatiane Frizzo/SD, Paula Ioris/PSDB e Tibiriçá Maineri/PRB. Eles foram recebidos pela presidente Sandra Randon e pelo diretor-executivo Luciano Pereira. Os diretores informaram que o balanço oficial será divulgado até o final deste mês. A avaliação, proposta pelas vereadoras em plenário tão logo terminou a festa – polêmica e cheia de problemas na organização – deverá ocorrer em maio.

100 DIAS, AOS 99

Na véspera de completar 100 dias de gestão, o governador Eduardo Leite/PSDB concede nesta terça, às 9h, no Palácio Piratini, uma entrevista coletiva à imprensa. Ele apresentará um balanço dos primeiros meses de governo. Além disso, os projetos para a continuidade da atual administração estadual.

DEPOIS, A PEREGRINAÇÃO

Eduardo Leite confirmou presença nesta quarta-feira (10), no Fórum de Governadores, em Brasília. Na pasta, levará reivindicações como o repasse dos recursos da Lei Kandir, a redistribuição dos royalties e do Imposto Sobre Serviços e o acesso às informações do Fundo de Participação dos Estados. O evento integra a 22ª da Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que vai até esta quinta-feira, no Centro Internacional de Convenções do Brasil. Mais de oito mil prefeitos, vereadores e secretários de todo o país estão na capital federal. Entre eles, cerca de 330 são do Rio Grande do Sul. A realização é da Confederação Nacional dos Municípios.





Publicidade