Política

APARTE

Esta foi a comparação apresentada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quarta (3), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos
04 de abril de 2019

Esta foi a comparação apresentada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quarta (3), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Na audiência para discutir a Reforma da Previdência, ele afirmou que o Brasil gasta 10 vezes mais com aposentadorias do que com os investimentos em educação. “No ano passado gastamos R$ 700 bilhões com a Previdência, que é o nosso passado, e R$ 70 bilhões com educação, que é o futuro. Antes de a população brasileira envelhecer, a Previdência está condenada”, declarou. A expectativa é de que a reforma seja votada na comissão até o dia 17 de abril. Se passar pela CCJ, será formada uma Comissão Especial para analisar cada item da proposta do presidente Jair Bolsonaro. Entre os pontos controversos estarão as novas regras da aposentadoria dos militares, que foram apresentadas em projeto à parte.

FACCIOLI ASSUME A SEAP

O ex-subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Jurídicos do Ministério Público do Estado, Cesar Luis de Araújo Faccioli, toma posse, nesta quinta (4), como o primeiro titular da recém-criada Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP). A solenidade ocorre às 10h30, no Salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini. A pasta era chefiada em acúmulo de cargo pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior/PTB.

ABANDONOU O NOVO

O ex-candidato ao governo do Estado, em 2018, Mateus Bandeira, anunciou que está se desfilando do partido Novo. Ele foi o quinto colocado na eleição ao Palácio Piratini. O empresário enviou comunicado solicitando a desfiliação aos líderes da sigla. Segundo ele, o motivo foi o descontentamento com decisão da Executiva estadual com relação às cidades que participarão das eleições municipais de 2020. Bandeira fez 200 mil votos, o equivalente a pouco mais de 3% do total válido para o governo.

LAVA JATO NOS FGs

Em plena onda de devassa na gestão do funcionalismo público municipal, será votado, nesta quinta (4), na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, pedido de informações do vereador Rafael Bueno/PDT acerca das atuais Funções Gratificadas (FGs) concedidas pelo prefeito Daniel Guerra/PRB. O parlamentar quer saber a quantidade, os cargos, os setores, quantas FGs foram criadas pelo atual governo, quem ocupa esses cargos e quais irão incorporar o valor ao salário, mesmo que percam o adicional. Ele também questiona se há algum servidor celetista estabilizado por força da Constituição Federal de 1988 recebendo FG atualmente. Na mesma sessão o plenário votará outro requerimento de informações do pedetista. A finalidade é receber esclarecimentos da Secretaria Municipal da Saúde sobre a fila de espera para consultas, exames e cirurgias especializadas pelo SUS.

ARRECADAR É PRECISO!

Dentro dessa premissa, o vereador Gustavo Trigo/PDT foi à tribuna da Câmara, na sessão desta quinta (4), para indicar que o Município inove na maneira de arrecadar. Como presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Fiscalização e Controle Orçamentário, considera necessária a diversificação da matriz econômica de Caxias. Trigo é incentivador das ações de turismo para promover o desenvolvimento e aumentar a receita do Município. "Temos vocação, boa gastronomia, hotelaria pujante, aeroporto e um interior maravilhoso, que fornece experiências inéditas", salientou.