Política

APARTE

O que era para ser um dia de decisão virou motivo de frustração para Caxias do Sul. A expectativa era de que, depois de mais de 30 anos, o processo da família Magnabosco
28 de março de 2019

O que era para ser um dia de decisão virou motivo de frustração para Caxias do Sul. A expectativa era de que, depois de mais de 30 anos, o processo da família Magnabosco contra o Município chegasse ao final. Uma comitiva de autoridades se deslocou para Brasília para acompanhar o julgamento. Até o prefeito Daniel Guerra viajou a capital federal, onde se uniu aos três procuradores do Município, que articulavam um resultado favorável a Caxias, desde segunda-feira. O Legislativo municipal se fez presente com os vereadores Paula Ioris/PSDB e Paulo Périco/MDB, e o estadual, com o deputado Carlos Búrigo. Considerado com um dos síndicos da ação rescisória, que seria julgada, o ex-prefeito Alceu Barbosa Velho/PDT também tomou o avião para Brasília.

Contudo, não foi desta vez que a expectativa em pegarem o avião de volta sorrindo pela vitória se concretizou. Apesar da sustentação oral do advogado Jorge Galvão, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Herman Benjamin, pediu vistas no processo. Ele justificou pela complexidade técnica e jurídica do caso. Esta é a segunda vez em três meses que o STJ adia a votação do Caso Magnabosco. Em dezembro do ano passado, o processo foi retirado de pauta, sem qualquer explicação lógica. A ação rescisória tenta liberar o Município de uma dívida, estimada hoje, em R$ 620 milhões.

MAIS CONSIDERAÇÃO

Foi o que pediu o vereador Alberto Meneguzzi/PSB, na tribuna da Câmara, nesta quarta, por parte da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias para com o Legislativo. Ele criticou o fato de a entidade não convidar o Parlamento para ser palestrante das reuniões-almoço. “Na semana que vem, temos pela segunda vez, em menos de um ano, o deputado Marcel Van Hattem na CIC. E a Câmara de Vereadores tem que fazer parte da mesa dessa reunião-almoço senão vai ficar feio. A gente tem que engolir cada palestrante nessas reuniões-almoço que vou te contar”, observou o vereador. Meneguzzi também lamentou a postura de diretores da CIC com relação aos políticos. “Eu, particularmente, no ano passado, fui desrespeitado inclusive numa reunião interna, onde um cidadão, diretor da CIC, disse que todos os políticos estavam revestidos de vaidade. Desrespeitando a figura do presidente da Câmara, inclusive, do vereador - naquela época eleito legitimamente deputado estadual - Neri, O Carteiro. Esse, sim, representa Caxias do Sul e a nossa região”, afirmou.

DEPOIS DE GEPETO, O PINÓQUIO

A arrecadação da Festa da Uva divulgada pelo Executivo foi contestada pelo vereador Rafael Bueno/PDT, na sessão da Câmara desta quarta-feira. Segundo o pedetista, o prefeito Daniel Guerra teria afirmado, na mídia local, que o evento não recebeu verba pública. Ele contestou a chamada autossustentabilidade da festa, alegada pelo Executivo. “Guerra tanto critica a Lei Rouanet, mas a Festa da Uva captou, até o momento, mais de R$ 1,5 milhão por meio dessa legislação. Via Procultura, que é uma lei estadual, foram R$ 170 mil, e pela Lei de Incentivo à Cultura, a LIC municipal, R$ 26 mil. Então, só de captação de recursos públicos se buscou cerca de R$ 1,7 milhão", revelou. Rafael Bueno disse que o prefeito esqueceu que, no ano passado, o Legislativo aprovou verba de R$ 1,5 milhão para reformas no parque de eventos. "Como estamos chegando ao mês de abril, talvez o prefeito queira instituir, no Município, a Semana da Mentira. Estão se tornando tão rotineiras as mentiras desse gestor que estamos passando vergonha nacionalmente”, afirmou o parlamentar.

LANÇAR CANDIDATURAS

Esta é uma das finalidades de um jantar, que será promovido pelo partido Novo, com a presença do deputado federal gaúcho, Marcel Van Hattem. A intenção é lançar nomes ao Executivo e Legislativo em 2020. O evento ocorrerá na segunda-feira, 1º de abril, no salão da Igreja Santa Catarina. O jantar é por adesão. Segundo o coordenador do núcleo de Caxias do Sul e da Região Nordeste, Marcelo Slavier, o Novo está em fase de expansão. “Estamos filiando simpatizantes e possíveis candidatos, divulgando valores e princípios do partido, pois temos certeza de que a chegada dele provocará grande mudança política na cidade”, salientou. Os pré-candidatos passarão por um processo seletivo, definido pelos dirigentes como um dos diferenciais do Novo.

CONVENÇÃO TUCANA

O diretório do PSDB de Caxias do Sul realiza convenção, no sábado (30), a partir das 14h, no plenário da Câmara de Vereadores. O objetivo é decidir os representantes da sigla nos próximos dois anos. Todos os tucanos de ficha assinada podem participar. Serão eleitos o novo diretório, os delegados para a convenção estadual, Comissão de Ética, Secretariado Municipal do PSDB Mulher e a Executiva Municipal da Juventude do partido.





Publicidade