Roberto Hunoff

Livre Iniciativa

27 de maio de 2019 às 08:40

Novidades em feira de ônibus

 

A NEOBUS e a Volare, unidades independentes da Marcopolo, participam até este sábado (25), da Fenatral 2019 e XX Encontro Nacional do Transporte Alternativo, Complementar e Serviços Básicos, em Brasília. A NEOBUS expõe os modelos Thunder + e New MEGA 15t, no padrão SPTrans. Já a Volare apresenta como novidade um modelo mais robusto do Fly 10, também padrão SPTrans, para o transporte no segmento urbano. A Fenatral é uma sociedade civil de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como meta promover o transporte alternativo de qualidade por meio da organização e união em nível nacional de todas as entidades envolvidas com a atividade, como cooperativas, trabalhadores autônomos, associações e sindicatos.

 

Transporte do futuro

 

O diretor de Desenvolvimento de Negócios do Brasil da Hyperloop Transportation Technologies, Ricardo Penzin, será o palestrante da reunião-almoço de segunda (27) da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul. No tema da palestra, “Hyperloop: o transporte do futuro e os planos para o Brasil”. Penzin, com várias passagens pelo Vale do Silício, foi apoiador na elaboração das leis de incentivo à inovação brasileira. A Hyperloop TT desenvolve um sistema de transporte baseado na tecnologia criada em 2013 por Elon Musk, fundador da Tesla, que consiste em uma cápsula que levita em tubos de vácuo e velocidade que pode atingir até 1.123 km/h. Penzin falará sobre a tecnologia, o futuro do transporte de cargas e passageiros e os planos da empresa para o Brasil.

 

Parceria firmada

 

A Ecaanpi Indústria e Comércio, de Garibaldi, venceu o edital lançado pela Embrapa Uva e Vinho para a produção e comercialização do suquificador, um processador para elaboração de suco integral sem adição de água, desenvolvido para a produção em pequena escala. Valmor Pilatti, sócio proprietário da empresa, já trabalha no segmento de sucos e bebidas. “Produzimos equipamentos para pequenos produtores rurais, inclusive cooperativas. Estamos felizes pela oportunidade de trabalhar em parceria com a Embrapa". Para José Fernando da Silva Protas, chefe-geral da unidade federal, a parceria se deu em função da necessidade de maior produção do equipamento que a empresa anterior não conseguiu atender. “O licenciamento é uma maneira de a Embrapa transferir conhecimento, retornando à sociedade o ativo social que a empresa desenvolve".