Fernando Santos

APARTE

29 de maio de 2019 às 08:40

Meu irmão, meu companheiro

 

O prefeito Daniel Guerra viajou, ontem (28), para Fortaleza/CE, para participar do VI Encontro Nacional do Ministério Público de Defesa da Saúde e do VI Congresso Brasileiro de Direito e Saúde. Até aí, nenhum problema. Ocorre que, ao invés de levar o secretário da pasta interessada na capacitação – Julio Cesar Freitas da Rosa (que esteve em Brasília até a noite desta quarta-feira) – o mandatário resolveu levar o chefe de gabinete, Chico Guerra. Apesar de se tratar de um encontro de qualificação na gestão pública, aparentemente, não há justificativa para deixar Freitas – que poderia voar da capital federal para Fortaleza - de fora dessa oportunidade de ficar cara a cara com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e, quem sabe, articular alguma verba para a doente saúde pública de Caxias.

Conforme a assessoria de comunicação da Prefeitura, os Guerra retornam à Caxias no dia 2 de junho. Isso porque não há disponibilidade de voo para a cidade no dia 1º.

 

AS DIÁRIAS DO SENHOR PREFEITO

 

A viagem do prefeito Daniel Guerra e do chefe de gabinete, Chico Guerra, à Fortaleza, custará ao Município o valor de R$ 4.434 (R$ 2.217,00 para cada um) em diárias. Para o dia 2 de junho, eles não ganharão a verba indenizatória. Entretanto, em junho, segundo o Portal da Transparência do site da Prefeitura de Caxias, os dois irmãos voltarão a voar juntos, em duas oportunidades. Para os dias 10, 11 e 12 foram empenhadas diárias individuais de R$ 1.199,00. Desta vez, o destino será Brasília, onde a dupla irá participar da 27ª Expotchê, promovida pelo governo do Estado. A próxima viagem dos irmãos Guerra será nos dias 24, 25, 26 e 27 de junho para a cidade de São Paulo. Eles irão participar da 14ª ISC Brasil - Feira e Conferência Internacional de Segurança. Para esta viagem, cada um receberá R$ 1.708. No total, em um período de menos de um mês (28 de maio e 27 de junho), Daniel e Chico Guerra receberão R$ 10.248 em diárias.

 

TURISMO CUSTEADO

 

A inclusão de Chico Guerra nas viagens do prefeito, apesar da choradeira do Executivo sobre a falta de dinheiro nos cofres para realizar obras e prestar serviços, deverá causar polêmica, principalmente, na Câmara de Vereadores. Isso porque, recentemente, Chico Guerra esteve 14 dias na Itália, representando o Município na assinatura do pacto de Cidades-Irmãs com a cidade de Corbola. O fato foi muito criticado pela oposição, que considerou a viagem como passeio turístico com dinheiro público.

 

MORTES NO TRÂNSITO

 

O plenário da Câmara de Vereadores aprovou, por unanimidade, na sessão desta terça-feira (28), um pedido de informações da Comissão de Segurança Pública e Proteção Social à Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM). O requerimento solicita o número de mortes no trânsito, registradas em Caxias, desde 2016. Também foram questionadas as ações realizadas pelo atual governo, desde 2017, para prevenir e coibir as infrações de trânsito. Segundo a Lei Orgânica do Município, o Executivo terá até 30 dias para responder aos questionamentos. O grupo de trabalho é presidido pela vereadora Paula Ioris/PSDB.

 

SÓ FALTA VIGORAR

 

A vereadora Denise Pessôa/PT protocolou, ontem (28), no Ministério Público, uma representação para que o órgão cobre do Executivo de Caxias a implementação da Lei Municipal nº 8325, que institui e regulamenta as Terapias Integrativas e Complementares no SUS. Entre elas, reiki, yoga, cromoterapia e fitoterapia. A legislação foi aprovada pela Câmara, no ano passado, e não teve sanção do prefeito Daniel Guerra. A lei foi promulgada pelo então-presidente da Câmara de Vereadores, Alberto Meneguzzi/PSB.