Fernando Santos

APARTE

22 de maio de 2019 às 08:40
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

Rusgas na convocatória

 

Pelo menos, em dois momentos, o clima esquentou na convocatória da presidente da FAS, Rosana Menegotto. A primeira ocorrência foi durante manifestação do vereador Rafael Bueno/PDT. Enquanto ele se pronunciava, uma das cinco servidoras que acompanharam a presidente da FAS fez menção ao pedetista como o vereador “do tijolo”. O fato irritou Bueno, que solicitou respeito ao cargo que ocupa, mencionando que todas tinham função gratificada (FG). Por isso, estariam ali, em pleno horário de trabalho no órgão. Não menos irritado ficou Rodrigo Beltrão/PT ao ser interpelado por Rosana. Ao iniciar as respostas aos vereadores, ela lamentou a ausência dele em plenário. Ocorre que Beltrão estava na sala lateral ao plenário e, imediatamente, retornou e disse que estava por perto. Rosana revidou, chamando-oele de mal educado, o que o parlamentar alterou o timbre de voz para pedir respeito e dizer que ela, sim, desrespeitou o Legislativo, quando não compareceu à audiência pública do fim de abril.

 

PAPAGAIADA

 

Este foi o termo utilizado pelo presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo de Caxias, vereador Renato Oliveira/PCdoB, sobre a manifestação do secretário de Saúde, Julio Cesar Freitas da Rosa, relacionada à estratégia (contingenciamento) que será adotada pelo Executivo para suprir a demanda de atendimentos de urgência e emergência, já que a nova UPA Central não deverá ser aberta antes do inverno. Julio Freitas anunciou que o Executivo fará um contingenciamento de servidores nas unidades básicas de saúde e na UPA Zona Norte. “Isso mostra a que veio esse governo. Um governo que não pensa no básico, apesar de ter ganhado a eleição em cima da saúde, educação e segurança. As três UBSs estavam prontas há mais de ano e eles não abriam. Eles mesmo admitem que era falta de gestão deles. Agora o prefeito diz que economizará na saúde, mas nessa área a gente não economiza, investe. É muita papagaiada do prefeito [Guerra], do secretário...”, afirmou.

 

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

 

A quinta das nove audiências da Comissão da Previdência Pública da Assembleia Legislativa ocorrerá na segunda-feira (27), na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. O colegiado é formado por 12 deputados de vários partidos e o presidente é o petista Pepe Vargas. “É a oportunidade que a população tem de ouvir deputados que são contra e os que são a favor da reforma da Previdência, cada qual defendendo seus pontos de vista", ressalta. No final das audiências, será apresentado um relatório. O documento será encaminhado às bancadas gaúchas no Congresso Nacional.

 

COLETIVA

 

O prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves/PDT, concede, hoje (22), a segunda entrevista coletiva em uma semana. Desta vez, ele reunirá a imprensa local e regional para detalhar dados sobre a reforma administrativa promovida no Executivo. O encontro ocorre às 8h, no gabinete dele na Prefeitura. Na última sexta-feira (17), o prefeito chamou a imprensa da região para o início de uma operação tapa-buracos na ERS-122, custeada com R$ 600 mil economizados pela gestão municipal.

 

R$ 100 MIL É DEMAIS!

 

O plenário do Legislativo de Caxias aprovou, na sessão desta terça (21), moção de contrariedade ao possível reajuste de 100% nos salários do presidente e dos cinco diretores do Banrisul. A proposta foi do vereador Felipe Gremelmaier/MDB e contou com assinatura de mais 13 parlamentares. “Seria um dos grandes absurdos desse novo governo do Estado”, afirmou. O projeto de reajuste, de autoria Executivo estadual, que tramita na Assembleia Legislativa, propõe passar o salário dos diretores, de R$ 45 mil para R$ 90 mil mensais. A remuneração do presidente do banco também dobraria de R$ 50 mil para R$ 100 mil.