Fernando Santos

APARTE

14 de maio de 2019 às 08:40

Desmoralizar para justificar?

 

A Secretaria Municipal de Saúde de Caxias do Sul apresentou, nesta segunda (13), mais um capítulo da série de reportagens sistemáticas sobre consultas perdidas no Centro Especializado em Saúde. O levantamento apontou que, entre janeiro e março deste ano, quase 6 mil pacientes deixaram de comparecer às consultas marcadas com especialistas. O número equivale a 17,45% do total, contabilizado em 34,3 mil atendimentos agendados no período. O índice é maior em ortopedia, uma das especialidades com elevado tempo de espera para consultas.

A pesquisa do Executivo não revela, porém, que motivos levaram essas quase 6 mil pessoas a deixar de comparecer às consultas. Estima-se que o ato esteja diretamente ligado à demora do governo em atender aos pacientes, cuja doença tem sérias consequências à vida diária dessas pessoas, muitas delas tendo que se virar com alguma forma alternativa para receber atendimento médico. A impressão que se tem é que o Executivo adotou a estratégia de querer desmoralizar o contribuinte para justificar a incapacidade de atender à demanda da sociedade por serviços médicos.

 

AUDIÊNCIA PARA O MONTE CARMELO

 

Vem aí a primeira prova de fogo, principalmente, para o novo secretário de Habitação de Caxias do Sul, Claudir de Bittencourt. O vereador Rafael Bueno/PDT solicitou, nesta segunda (13), ao presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, Transporte e Habitação do Legislativo, Eloi Frizzo/PSB, que convoque audiência pública para tratar da situação das famílias que moram no Monte Carmelo, ameaçadas de despejo devido à uma ação de reintegração de posse, que terá uma audiência judicial no dia 10 de julho. "Essa situação precisa ser esclarecida, porque os moradores necessitam de segurança e respaldo jurídico. Há muitas crianças e idosos envolvidos, e as famílias estão na iminência de perder o que construíram”, afirmou. O pedetista indicou ainda que sejam convidados representantes da Fundação de Assistência Social; secretarias de Urbanismo, Meio Ambiente, Planejamento e Obras; SAMAE e Ministério Público. A intenção é questionar o Executivo por que não foram comprados os oito hectares agora alvos do processo judicial. Outros 14 hectares foram comprados pela Prefeitura em 2004.

 

LICITAÇÃO ON LINE

 

Transmitir ao vivo e gravar os processos licitatórios da Câmara de Vereadores e da Prefeitura, autarquias e empresas públicas é a finalidade de um projeto de lei protocolado pelos vereadores Alberto Meneguzzi/PSB e Kiko Girardi/PSD. Segundo eles, para proporcionar mais transparência ao uso do dinheiro público na compra de materiais e serviços. Os parlamentares propõem que a transmissão seja feita por meio da internet, no Portal da Transparência. A medida já ocorre na Câmara de Vereadores desde o ano passado, quando Meneguzzi foi presidente da Casa, pela TV Câmara e redes sociais. O projeto havia sido encaminhado por Kiko Girardi e ganhou substitutivo assinado por Meneguzzi.

 

NOVA FRENTE PARLAMENTAR

 

A Frente Parlamentar de Logística e Transportes dos Campos de Cima da Serra foi instalada na manhã desta segunda-feira (13), na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre. A proposta é do deputado estadual Carlos Búrigo/MDB. O objetivo é discutir a infraestrutura da região a fim de proporcionar o desenvolvimento econômico e turístico, e viabilizar logística para escoamento da produção do Sul do Brasil para os países do Mercosul. “O objetivo é agregar as forças políticas gaúchas e catarinenses para somar a tudo que já foi feito em prol da logística e dos transportes dos Campos de Cima da Serra no Rio Grande do Sul e da região sul catarinense”, ressaltou Búrigo. Ainda, segundo ele, uma frente semelhante será instalada na Câmara Federal, no dia 5 de junho, e será coordenada pelo deputado federal Ronaldo Santini/PTB.