Fernando Santos

APARTE

26 de abril de 2019 às 08:40
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

Pede para o Gomes e cobra do Guerra

 

O vereador Rafael Bueno/PDT não perdeu a oportunidade de alfinetar o PRB, na sessão desta quinta. Em aparte a Arlindo Bandeira/PP, que comemorava a transmissão de sinal de internet e telefona fixa para o interior de Caxias, anunciada pela operadora Oi, ele respondeu à declaração anterior do líder de governo, Elisandro Fiuza/PRB: “Vossa Excelência está evoluindo cada vez mais positivamente, quando o senhor retratou a fala do quanto é importante esse trabalho de se esmerar em prol da sociedade, do bem comum, do bem da coletividade. Isso demostra realmente uma maturidade cada vez maior como parlamentar”. Rafael agradeceu o elogio, porém, não poupou os ouvidos do republicano. "Esperamos que o deputado Carlos Gomes, vice-líder da bancada gaúcha, conhecido como amigo de Caxias do Sul, possa ajudar o Hospital Geral. Porque o senhor sabe que teve uma emenda de R$ 500 mil do ex-deputado Mauro Pereira, que o Município embolsou e não repassou para o Hospital Geral”, afirmou.

 

RONCADOR

 

Corroborando com a afirmação do vereador Edi Carlos/PSB, de que a agenda foi cansativa em Brasília, Rafael Bueno protagonizou um dos momentos hilários da sessão. “Quero até dizer que o senhor cansou mesmo, porque o ronco do senhor à noite... Eu não consegui dormir. O senhor virava para um lado, virava para o outro e roncava. Então, o senhor estava cansado mesmo”, revelou.

 

CAPACITAÇÃO DE CCs

 

Este é o assunto de um pedido de informações aprovado, nesta quinta, pelo Legislativo. No documento, a bancada do PT – Denise Pessôa e Rodrigo Beltrão - questiona o Executivo sobre as licenças para cursos e qualificações de secretários e de cargos em comissão. Os parlamentares perguntam qual o procedimento adotado para a liberação desses profissionais para estudarem e/ou para realizarem cursos e seminários, entre outros. Também solicitam a relação, desde janeiro de 2017, dos servidores destas categorias e dados qualitativos de quem foi liberado do expediente para frequentar cursos desta modalidade.

 

PROTEÇÃO SOCIAL

 

A vereadora Denise Pessôa/PT protocolou projeto de lei que cria medidas protetivas para os casos de violência contra professores e servidores da rede municipal de ensino. Conforme a proposta, será configurada como violência, qualquer ação ou omissão decorrente da relação profissional que resulte em morte, lesão corporal e danos patrimonial, psicológico ou psiquiátrico, praticada direta ou indiretamente no exercício da profissão, assim como ameaças à integridade física ou patrimonial. Denise ainda propõe ações de combate à violência nas escolas, atendimento inicial em caso de agressão física, verbal ou da ameaça, e da comunicação da ocorrência como acidente de trabalho.

 

METAS ÀS CLARAS

 

Por outro lado, a bancada do PSB também protocolou projeto relacionado à educação municipal. Os vereadores Alberto Meneguzzi, Edi Carlos Pereira de Souza e Eloi Frizzo querem que a Secretaria Municipal de Educação apresente na Câmara, sempre na semana de abertura do ano legislativo, o plano de metas da educação pública.

 

MORADORES DE RUA

 

A situação destes cidadãos será tema de uma reunião pública da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, na segunda-feira (29), no Legislativo. Foram convidados representantes das secretarias de Segurança Pública e Proteção Social e de Saúde, Fundação de Assistência Social, Conselho Regional de Psicologia, Centros de Atenção Psicossocial, Brigada Militar, Guarda Municipal e o Movimento Nacional de População em Situação de Rua. O encontro aberto à comunidade ocorre a partir de 14h.