Fernando Santos

APARTE

24 de abril de 2019 às 08:40

Respingou no Sindiserv

 

Em certo momento, durante o debate pela possibilidade do encerramento do plantão noturno da Farmácia do Ipam, Eloi Frizzo/PSB chamou o sindicato da categoria dos funcionários à responsabilidade. “Presidente Silvana [Piroli], está na hora de mobilizar os servidores na defesa desse patrimônio dos servidores de Caxias. Temos feito a nossa parte aqui na Câmara. Está na hora de os servidores saírem da cadeira, saírem do conforto e começarem a defender aquilo que é do seu interesse”, provocou.

 

BANCAS, PATRIMÔNIO CULTURAL

 

Na sessão desta terça-feira, Eloi Frizzo/PSB anunciou o protocolo do projeto de lei que define as bancas de revistas localizadas nas praças Dante Alighieri e João Pessoa, ao lado do antigo Postão 24h, e em frente ao Paço Municipal, como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Município. A proposta também foi assinada por Paulo Périco/MDB e Rafael Bueno/PDT. O anúncio ocorreu na véspera da audiência de conciliação, marcada pela juíza da 5ª Vara Cível Especializada em Fazenda Pública de Caxias do Sul, Maria Aline Vieira Fonseca, entre os proprietários das bancas e representantes do Executivo. A reunião ocorre nesta quarta-feira (24), às 16h30, no Forum de Caxias.

 

RESPOSTA ESFARRAPADA

 

A vereadora Gladis Frizzo/MDB utilizou a tribuna do Legislativo, nesta terça (23), para criticar o fechamento de oitos dos 11 Centros de Inclusão e Alfabetização Digital (CIADs). Ela leu a resposta da Secretaria de Desenvolvimento Econômico a um pedido de informações, onde o Executivo alega que a demanda caiu mais da metade, entre 2017 e o ano passado. “Tem que ver o porquê não está dando certo. Eu falo do CIAD lá do Desvio Rizzo. A informação que tenho é de que funciona em lugar escondido. As pessoas que procuraram não achavam a pessoa responsável”, salientou Gladis.

 

REFÉM DO COMPACH

 

Não foi desta vez que ficou definido prazo para que o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (Compahc) emita parecer sobre tombamento de prédios com mais de 50 anos em Caxias. Na sessão legislativa desta terça o plenário acatou parecer de inconstitucionalidade ao projeto do vereador Adiló Didomenico/PTB, que pretendia instituir até 30 dias para o Conselho se pronunciar sobre pedidos desta natureza. “A iniciativa privada não pode ficar refém do Compahc. Eles levam até um ano para dar um parecer, prejudicando os empreendimentos e investidores”, afirmou. O projeto foi arquivado. Porém, Adiló adiantou que encaminhará emenda ao projeto do novo Plano Diretor. A ideia é instituir que o Executivo publique a lista dos 100 prédios passíveis de tombamento.